Sell in May and go Away: mito ou verdade?

Existe uma teoria baseada em dados que os meses entre novembro e abril costuma ser bons (de alta) e
entre maio e novembro ruins (queda), e o mês de maio justamente marcaria essa inversão de tendência.

O mercado financeiro tem algumas histórias e o mês de Maio uma particularmente interessante.

Existe uma teoria baseada em dados que os meses entre novembro e abril costuma ser bons (de alta) e entre maio e novembro ruins (queda), e o mês de maio justamente marcaria essa inversão de tendência.

Com base nessa teoria a ideia é vender suas posições nesse mês, colocar o lucro no bolso e ir embora.

Mesmo sendo uma análise feita com base no mercado norte americano, que possui como pressuposto que os investidores começam a se preparar para as férias de verão no hemisfério norte e preferem sair do mercado de ações para curti-las sem preocupações, quando olhamos o mês de maio na bolsa brasileira vemos um histórico recente bem ruim. 

Durante quase 10 anos seguidos, quem seguiu essa falácia se deu bem: de 2010 à 2018 todos os “maios” foram negativos, e em 2019 o resultado neste mês foi praticamente neutro com míseros 0,70%. 

Foi apenas em 2020, o ano que em que tudo virou de cabeça para baixo, é que vimos o mês de maio ter uma boa performance: alta de 8,57%.

Também pudera, mercado já havia caído tanto nos 3 primeiros meses desse ano, então já não havia muito espaço para mais realizações.

Agora, sobre a pergunta se Sell in May and go Away é mito ou verdade, a resposta vai depender da interpretação que você fizer dos dados.

Em termos históricos, pelo menos de 2010 para cá faz sentido, mas agora se isso é uma evidência curta demais para análise e se esse recorte de tempo pode estar sendo usando apenas como viés da confirmação, esse já é um papo para um novo conteúdo pra explorarmos mais pra frente!

Achou interessante esse conteúdo?

Se tiver sugestões de tema para explorarmos em nosso blog, mande um email para [email protected]

Bons investimentos!